Selecione a fonte desejada
Menu

Carbono na agricultura: produtividade e meio ambiente

Agricultura brasileira se destaca como modelo de sustentabilidade
COMPARTILHE ESTE ARTIGO
FacebookTwitterLinkedinWhatsApp

Antes mesmo da preocupação mundial com as emissões de carbono provenientes da agricultura, os produtores brasileiros já tinham conhecimento da sua importância e souberam aliar a eficiência produtiva à ambiental. Dessa forma, tornaram-se modelos de sustentabilidade para o mundo com a agricultura de baixo carbono.

O que é o carbono?

O carbono está presente no nosso dia a dia, em todos os momentos. Trata-se do elemento comum em tudo o que conhecemos, sendo um dos poucos elementos que, praticamente, conecta tudo o que existe na Terra.


O carbono está presente em diversos itens, como na cadeira, na mesa, no livro, no combustível, na roupa, no automóvel, no pneu. Trata-se de um dos principais elementos da vida. Está presente no seu corpo e é o elemento fundamental para fotossíntese das plantas. Na casca das árvores, nas folhas da soja, na raiz do milho, nas frutas, no pólen das flores, todos incorporam carbono. No entanto, este carbono também está relacionado com alguns problemas ambientais, entre eles, as mudanças climáticas.


Mudanças climáticas naturais ocorreram ao longo da história humana. Nas últimas décadas, foi identificado um aumento elevado nas temperaturas. Alguns estudos apontaram a causa como sendo o aumento dos gases de efeito estufa (GEE), entre eles, o do dióxido de carbono (CO2) – tão importante para o início do processo da fotossíntese.


Diante disso, os agricultores passaram a ter um papel importante para mitigar este problema. O serviço de mitigação das mudanças climáticas realizado pelos agricultores merece reconhecimento.


Os agricultores são responsáveis pela produção de alimentos e agentes ativos no cuidado do meio ambiente e a agricultura de baixo carbono, adotada por eles, tem promovido aumentos da produtividade e do sequestro de carbono nos solos brasileiros.  

O que é agricultura de baixo carbono?


O objetivo da agricultura de baixo carbono é simples: remover o excesso de carbono da atmosfera e armazená-lo no solo. Aliado a isso, possibilita o melhor crescimento e o desenvolvimento de plantas, benefícios estes atrelados a sustentabilidade.


A agricultura de baixo carbono envolve a implementação de práticas agrícolas, a fim de aumentar a remoção de CO2 da atmosfera, convertendo em carbono no material vegetal e na matéria orgânica do solo.


O aumento do sequestro de carbono ocorre quando as práticas agrícolas conservacionistas são adotadas, como:


• Sistema Plantio direto;
• Perturbação mínima do solo;
• Rotação e sucessão de culturas;
• Sistemas integrados;
• Culturas de coberturas;
• Fixação biológica do nitrogênio.

Diversas destas práticas agrícolas já são adotadas pelos agricultores brasileiros, reduzindo, em grande medida, o revolvimento do solo. Isso possibilitou o aumento do sequestro de carbono.


A perda de carbono do solo deve-se, principalmente, a mudança no manejo do próprio solo, que pode aumentar ou diminuir a quantidade de CO2. Assim, a agricultura de baixo carbono pode ser considerada bem-sucedida quando a quantidade de carbono sequestrada pelo solo é superior a quantidade emitida.



(Imagem: adaptada de LaborGene)


Adotar as inovações e melhores práticas na agricultura são soluções naturais para as mudanças climáticas. A “saúde do solo” não beneficia apenas a produtividade agrícola, mas também tem papel fundamental no sequestro de carbono, tornando-se um ativo valioso para toda a sociedade.

Benefícios adicionais da agricultura de carbono


Além de compensar as emissões, as práticas agrícolas relacionadas a agricultura de baixo carbono têm benefícios adicionais. É possível restaurar solos degradados, melhorar a produção agrícola, reduzir a poluição, minimizar a erosão e o escoamento de nutrientes, purificar as águas superficiais e subterrâneas, aumentar a atividade microbiana e a biodiversidade do solo.


É importante reconhecer o valor desses outros benefícios, para que não passem despercebidos na implementação de ações focadas no sequestro de carbono do solo. Os benefícios adicionais significam que mais alimentos podem ser produzidos ao se preservar a “saúde do solo” e, em consequência, sequestrar o carbono atmosférico.

O agricultor brasileiro como exemplo de eficiência ambiental e produtiva


Aqui, cabe ressaltar a frase do pesquisador da Embrapa Evaristo de Miranda, que representa o importante papel do agricultor brasileiro: “Não há nenhuma categoria profissional que preserve mais o meio ambiente que o agricultor brasileiro”.


O nosso país tropical conquistou a posição de potência agrícola mundial e as inovações tecnológicas e o manejo eficiente dos agricultores transformaram solos pobres em solos férteis. A partir da tropicalização dos cultivos, de diferentes ciclos, foi possível aproveitar os solos brasileiros nas mais variadas condições climáticas.


Sendo assim, fica claro que os manejos e as práticas agrícolas sustentáveis adotados pelos agricultores brasileiros são exemplos de defesa ambiental para o mundo.

Developed by Agência Jung
X

Inscrição PAP Digital Versão BETA

O PAP é uma ferramenta desenvolvida por consultores 3tentos para produtores rurais
*Campos obrigatórios
Enviar
Logo 3tentos Original em Vetor

Mande sua mensagem

Selecione um assunto
Comercial Insumos
Comercial Grãos, Óleo e Farelo
Trabalhe Conosco
Indústria de Extração e Biodiesel
*Campos obrigatórios
Enviar
Logo 3tentos Original em Vetor
Entrar em contato
CotaçõesCotações
Soja
Dólar
Bolsa Chicago
Referência: 14/05/2021
Produto Último Máxima Mínima Abertura Fechamento %
[CBOT] Arroz 13,42 13,33 -0.22%
[CBOT] Farelo 431,5 423,5 0.00%
[CME Milk Futures] Leite 18,87 18,99 18,87 18,98 18,88 -0.79%
[CBOT] Milho 692,5 718,75 685 717,25 685 -4.73%
[CBOT] Óleo de Soja 68,59 68,41 +0.54%
[CBOT] Soja 1602,5 1625 1620,75 1625 1603,75 -0.53%
[CME Lean Hog Futures] Suínos 111,15 111,575 111,15 111,45 111,15 -0.29%
[CBOT] Trigo 737 730,25 727,25 730,25 727,25 +0.10%
Referência: 13/05/2021
Produto Último Máxima Mínima Abertura Fechamento
[CME Milk Futures] Leite 18,95 19,1 18,94 19,05 19,03
[CBOT] Arroz 13,765 13,36
[CBOT] Farelo 424,7 448 427 448 423,5
[CME Lean Hog Futures] Suínos 111,475 111,925 111,2 111,775 111,475
[CBOT] Soja 1612 1657 1598 1657 1612,25
[CBOT] Milho 729 776,5 709,75 757,5 719
[CBOT] Óleo de Soja 69,05 71,91 70,85 70,85 68,04
[CBOT] Trigo 730 756,5 737 750 726,5
Frequência de atualização: diária