Selecione a fonte desejada
Menu

Herbicidas em arroz: aplicação em ponto de agulha e entrada d’agua

O Rio Grande do Sul é considerado o maior produtor de arroz irrigado do Brasil, junto com Santa Catarina, são responsáveis por mais de 80% da produção nacional. Por ser o cereal mais consumido em todo o mundo, essa posição é de extrema importância para garantir a segurança alimentar. No entanto, a presença de plantas daninhas pode comprometer drasticamente a produtividade, levando até a inviabilidade econômica do negócio.
COMPARTILHE ESTE ARTIGO
FacebookTwitterLinkedinWhatsApp


Dentre os métodos de cultivo do arroz no Rio Grande do Sul, predomina o irrigado. O que significa que a partir de certo momento do ciclo produtivo, o produtor precisa inundar a lavoura, mantendo uma lâmina de água uniforme até o final do ciclo. Essa prática limita a emergência de muitas plantas daninhas, sendo assim, um importante método de controle. Em contrapartida, sozinha, essa prática não é suficientemente eficiente para garantir altos níveis de produtividade, fazendo-se necessário o uso de herbicidas. 


Para o controle de plantas daninhas existem principalmente três momentos de intervenções, chamadas regionalmente de: aplicação de dessecação, aplicação de ponto de agulha e aplicação de entrada de água. Nessa época do ano, estamos entre as aplicações de ponto de agulha e prestes a começar as aplicações de entrada de água. Para estas fases serem bem definidas e facilitar o manejo, a uniformidade de desenvolvimento deve ser a maior possível e para isso um bom manejo no preparo de solo, confecção das taipas e no momento de semeadura são muito importantes para atingir esse objetivo.



Conceituando: ponto de agulha – aplicação realizada antes da primeira folha do arroz expandir completamente. Nesse ponto, não há absorção do herbicida. Essa fase é a “última chance” de se usar o glifosato na lavoura. Considerada muito importante já que, é uma molécula que apresenta alta eficiência de controle, pois temos poucos casos de resistência a esse mecanismo de ação quando falamos em arroz irrigado.


Pontos de atenção:





Arroz em ponto de agulha. Foto: Jeferson Quevedo - Assistente de Pesquisa e Desenvolvimento da 3tentos.



Conceituando: entrada d’agua – aplicação realizada entre os estágios de desenvolvimento V3-V4. O manejo ideal consiste em inundar a área em até 48 horas após a aplicação, principalmente para maior eficiência dos herbicidas aplicados.

Pontos de atenção:





Lavoura inundada após aplicação de herbicida. Foto: Gustavo Dias Grill.


Entre às plantas daninhas mais relevantes, temos o capim-arroz (Echinochloa cruspavonis) ou inço e, mais recentemente, o junquinho(Cyperus sp.). Além desses, também se destaca o arroz vermelho (Oryza sativa L.), que causa má aparência dos grãos para o consumidor final, em decorrência da sua coloração (vermelha ou preta). 


Dessa forma, reforçamos que as lavouras arrozeiras do estado do Rio Grande do Sul possuem uma variabilidade ambiental muito grande. Semeaduras variando de primeiro de setembro, até 15 de novembro, por exemplo. Trazendo realidades de temperatura (do ar e solo), luminosidade e pluviosidade distintas. Afetando diretamente na dinâmica de desenvolvimento do arroz e das plantas daninhas. 

Developed by Agência Jung
X

Inscrição PAP Digital Versão BETA

O PAP é uma ferramenta desenvolvida por consultores 3tentos para produtores rurais
*Campos obrigatórios
Enviar
Logo 3tentos Original em Vetor

Mande sua mensagem

Selecione um assunto
Comercial Insumos
Comercial Grãos, Óleo e Farelo
Trabalhe Conosco
Indústria de Extração e Biodiesel
*Campos obrigatórios
Enviar
Logo 3tentos Original em Vetor
Entrar em contato
CotaçõesCotações
Soja
Dólar
Bolsa Chicago
Referência: 14/05/2021
Produto Último Máxima Mínima Abertura Fechamento %
[CBOT] Arroz 13,42 13,33 -0.22%
[CBOT] Farelo 431,5 423,5 0.00%
[CME Milk Futures] Leite 18,87 18,99 18,87 18,98 18,88 -0.79%
[CBOT] Milho 692,5 718,75 685 717,25 685 -4.73%
[CBOT] Óleo de Soja 68,59 68,41 +0.54%
[CBOT] Soja 1602,5 1625 1620,75 1625 1603,75 -0.53%
[CME Lean Hog Futures] Suínos 111,15 111,575 111,15 111,45 111,15 -0.29%
[CBOT] Trigo 737 730,25 727,25 730,25 727,25 +0.10%
Referência: 13/05/2021
Produto Último Máxima Mínima Abertura Fechamento
[CME Milk Futures] Leite 18,95 19,1 18,94 19,05 19,03
[CBOT] Arroz 13,765 13,36
[CBOT] Farelo 424,7 448 427 448 423,5
[CME Lean Hog Futures] Suínos 111,475 111,925 111,2 111,775 111,475
[CBOT] Soja 1612 1657 1598 1657 1612,25
[CBOT] Milho 729 776,5 709,75 757,5 719
[CBOT] Óleo de Soja 69,05 71,91 70,85 70,85 68,04
[CBOT] Trigo 730 756,5 737 750 726,5
Frequência de atualização: diária